Complexo Fepasa

Patrimônio Material: Complexo da Estação Ferroviária de Jundiaí (Complexo Fepasa)
Localização: Av. União dos Ferroviários, s/ nº
Número do Processo (IPHAN): 1485/01

Parecer de tombamento

O Complexo da Estação Ferroviária de Jundiaí é o ponto terminal da antiga São Paulo Railway, posteriormente denominada Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, a primeira linha ferroviária em território paulista, que conectou o planalto ao litoral. O complexo impulsionou o desenvolvimento econômico em direção ao interior do Estado com o desbravamento de fronteiras agrícolas e o escoamento da produção, formando entroncamento com outras ferrovias. As tipologias arquitetônicas refletem o partido adotado pelos ingleses nas primeiras construções ferroviárias de São Paulo, com a introdução de novas técnicas como a alvenaria de tijolos e o ferro fundido.

Histórico

A ideia de se fundar uma companhia particular para construir uma estrada de ferro em São Paulo surgiu em 1864, quando a São Paulo Railway, que ligava Santos a Jundiaí, declarou-se impossibilitada de prolongar seus trilhos até Campinas. Em 16 de dezembro de 1867, um grupo de fazendeiros, negociantes e capitalistas, reuniu-se com o Conselheiro Joaquim Saldanha Marinho, Presidente da Província de São Paulo e decidiu fundar a Companhia Paulista de Estradas de Ferro, para atender ao progresso da lavoura cafeeira e, em 1968, o Complexo Fepasa é inaugurada como sede da Companhia Paulista.

A partir de segunda guerra mundial e da priorização das rodovias, a Cia. Paulista, juntamente com outras ferrovias, começou a perder sua condição de empresa ferroviária modelo e, em 1971, o Estado passou a ser seu maior acionista. Houve a incorporação da Estrada de Ferro Sorocabana, da Companhia Mogiana de Estrada de Ferro, da Estrada de Ferro Araraquara e da Estrada de Ferro São Paulo – Minas à Companhia Paulista de Estrada de Ferro mudando a razão social para FEPASA – Ferrovia Paulista S/A, sendo sua derrocada em 1998.

O valor histórico do Complexo transcende o conceito tangível e chega ao intangível devido ao legado ferroviário na cidade; no esporte com o Paulista Futebol Clube, na recreação com os clubes Grêmio C.P, Esportiva e o Clube Jundiaiense, na educação e cultura com o Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, entre outros. Também foi neste prédio que foi organizada a primeira grande greve pelos trabalhadores em 1906.

Com área total de 111 mil m² e 45 mil m² de área construída, o Complexo Fepasa foi adquirido pela Prefeitura em 2001. Atualmente, ocupam o espaço Poupatempo, Fatec, Fumas, Celmi, Setransp, Guarda Municipal e Cadastro Único, Estação Juventude e Museu da Companhia Paulista. O local também abriga a Diretoria de Patrimônio e Compac – Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural de Jundiaí.

Galeria de fotos

Todas as fotos no Flickr