Gabinete de Leitura Ruy Barbosa

Patrimônio Material: Gabinete de Leitura Ruy Barbosa
Localização: Rua Cândido Rodrigues nº 295/301
Tombado por: CONDEPHAAT
Número do Processo: 44.853/02
Resolução de Tombamento: Res. SC-09, de 11.03.2010

Parecer de tombamento

O Gabinete de Leitura de Jundiaí, cuja ata de fundação remonta ao ano de 1882, juntamente com o de Rio Claro e o de Sorocaba, constitui exemplar remanescente das primeiras bibliotecas públicas da província de São Paulo. O projeto paulista – de ideário liberal de propagação da república e da abolição da escravatura – previu a implantação de uma rede de casas de leitura, com escolas de primeiras letras anexas, nas cidades de economia pujante, que vivenciavam a modernidade introduzida pelo trem de ferro. Diferente das bibliotecas tradicionais, situadas em algumas capitais do Império, destinadas a freqüência de poucos e consulta de livros no local, os gabinetes seguem matriz francesa como loja de aluguel de livros, a serem retirados para leitura domiciliar. De caráter laico, até então predominavam, para essa finalidade, as associações religiosas. Esse espaço simbólico de importante política cultural do Império, voltada para a educação popular, continua em atividade até o presente.

Histórico

A data de início das atividades do Gabinete de Leitura Ruy Barbosa que consta na ata de fundação remete a 1908. O que iniciou na data colocada no parecer refere-se ao movimento encabeçado pelo então jovem de 14 anos, José Feliciano, que resultou em um primeiro gabinete local que posteriormente tornou-se a referida entidade.

Em 1923 foi batizado como Gabinete de Leitura Ruy Barbosa. Trata-se de mais um ícone que a tradição e a pujança ferroviária trouxeram para Jundiaí, pois, com a chegada da Companhia Paulista no meio do século XIX, a cidade passou por uma modernização e com isto foram fundadas entidades voltadas ao esporte, cultura e recreação.

Desde sua fundação, o Gabinete sediou a fundação do Aeroclube de Jundiaí, em 1941, assim como a do Tênis Clube de Jundiaí em 1958. Na década de 1980, recebeu o CineClube de Esquina, entidade pioneira em Jundiaí, que trazia para a cidade filmes que não integravam o circuito comercial.

Atualmente, o acervo conta com artigos de artes plásticas, documentos históricos e livros acumulando cerca de 45 mil itens. Funciona de segunda à sexta-feira das 8h às 20h e aos sábados das 8h às 12h, com possibilidade de empréstimo de livros e consulta do acervo no local para associados.

Galeria de fotos

Todas as fotos no Flickr