Pinacoteca Diógenes Duarte Paes

Patrimônio Material: Pinacoteca Diógenes Duarte Paes (Antigo Grupo Escolar Coronel Siqueira de Moraes)
Localização: Rua Barão de Jundiaí, 121 – Jundiaí
Tombado por: CONDEPHAAT
Número do Processo: 24929/86
Resolução de Tombamento: Resolução 60 de 21/07/2010
Livro do Tombo Histórico: inscrição nº 377, p. 103 a 110, 05/09/2011.
Código Sec. Est. Educ.: 05.84.101

Parecer de tombamento

Esse estabelecimento de ensino foi um dos primeiros instituídos pelo governo no interior do Estado. Sua inauguração aconteceu em 13 de abril de 1894 e a instalação em 15 do mesmo mês e ano. O edifício, construído no planalto da rua Barão de Jundiaí a partir de projeto de Ramos de Azevedo, tem a forma de chalé, com duas salas espaçosas em cada pavimento. O térreo era ocupado pela seção masculina e salas de professores e o pavimento superior, que tem salas de aula interligadas às salas de trabalho, pela seção feminina. Cada sala de aula dava acesso ao seu próprio vestiário com sanitários. A partir de 31 de julho de 1979, o prédio foi ocupado pela Biblioteca Pública Municipal Professor Nelson Foot e a escola foi transferida para outro edifício, na rua Vinte e Três de Maio, 541, na Vila Vianelo. Atuamente, ocupa o prédio a Pinacoteca Municipal.

É uma das integrantes de conjunto de 126 escolas públicas construídas pelo Governo do Estado de São Paulo entre 1890 e 1930 que comungam significados cultural, histórico e arquitetônico. Essas edificações expressam o caráter inovador e modelar das políticas públicas educacionais que, durante a Primeira República, reconheceram como inerente ao papel do Estado a promoção do ensino básico, dito primário, e a formação de professores bem preparados para tal função. Quanto às políticas de construção de obras públicas, são representativas pela estruturação racional de se instalar edificações adequadas ao programa pedagógico por todo o interior e capital do Estado.

Destaca-se a qualidade arquitetônica do conjunto caracterizada pela técnica construtiva simples, por uma linguagem estilística que simplificou os atributos clássicos acadêmicos do século XIX e pela organização espacial. Esta, que foi concebida inicialmente por meio de projetos arquitetônicos padronizados, distribuiu salas de aulas ao longo de eixos de circulação em plantas simétricas que incorporaram os preceitos de higiene, insolação e ventilação preconizados naquele momento.

Histórico

O edifício em questão é o único remanescente do projeto denominado “Tipo de Escola Pública”, cuja tipologia arquitetônica foi implantada apenas em Jundiaí, e ajuda a contar a história da cidade e dos estabelecimentos de ensino do interior do Estado de São Paulo, visto que abrigou o Grupo Escolar Coronel Siqueira de Moraes.

Segundo a Secretaria de Educação da Prefeitura de Jundiaí, o local foi ocupado em julho de 1979 pela Biblioteca Pública Municipal Prof. Nelson Foot e por parte do Museu Histórico e Cultural. Em 1983, dada a mudança do Museu para o Solar do Barão, a Biblioteca passou a ocupar todo o prédio, até ser reinstalada em 5 de setembro de 2005 no Complexo Argos, depois de 35 anos na rua Barão de Jundiaí. Três anos depois, foi inaugurada, no antigo endereço do Grupo Escolar, a Pinacoteca Municipal “Diógenes Duarte Paes”, espaço que vem promovendo desde então a disseminação da arte, da cultura e da educação.

Em 2002, juntamente com outras 122 escolas públicas da capital e do interior de São Paulo, o prédio que abrigou o Grupo Escolar Siqueira de Moraes foi tombado pelo Conselho do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (CONDEPHAAT), conforme publicação do Diário Oficial do Estado de São Paulo do dia 7 de agosto do mesmo ano. A medida se deu devido ao alto valor histórico destes edifícios no que tange à evolução educacional do estado.

Atualmente o prédio faz parte do corredor cultural de Jundiaí localizado na Rua Barão de Jundiaí. A Pinacoteca foi criada em 2008 com a finalidade de desenvolver atividades relacionadas às artes visuais, com exposições, workshops, oficinas e afins. O museu possui um acervo variado de artes plástica, composto por 477 obras, a maioria de caráter bidimensional, de artistas plásticos brasileiros e de Jundiaí e Região, e leva o nome de seu patrono – Diógenes Duarte Paes, artista Jundiaiense de notável talento com pintura, desenho e literatura. Entre suas produções artísticas mais significativas destacamos o conjunto de aquarelas da Série Folclórica, que apresentam cenas do cotidiano ocorridos no interior de ambientes domésticos e públicos, nas quais é possível identificar a preferência do artista pelos personagens humanos, além de retratar valores sociais e culturais de uma Jundiaí nas primeiras décadas do século XX.

Galeria de fotos

Todas as fotos no Flickr