Chaminé da antiga Fiação e Tecelagem Fábrica Japy S/A

Patrimônio Material: Chaminé da antiga Fiação e Tecelagem Fábrica Japy S/A

Tombado por: Via Projeto de Lei do Poder Legislativo Municipal

Localização: Rua Lacerda Franco, 175, Vila Arens – Jundiaí

Número do Processo: 3629/1990

Parecer de tombamento

Art 1º Considerada patrimônio histórico a chaminé da antiga Fiação e Tecelagem Fábrica Japy S/A;

Parágrafo único – a Prefeitura Municipal proverá a preservação da edificação referida no artigo;

Art 2° Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Histórico

Localizada na R. Lacerda Franco, a Tecelagem Japy foi fundada pelo senador Antônio de Lacerda Franco na primeira década do século XX; há divergências entre historiadores quanto ao ano exato de sua fundação, situado entre 1912 e 1914. Com uma área total estimada em 24 mil metros quadrados e uma arquitetura industrial marcante, a fábrica iniciou suas atividades produzindo sacos de estopa e se consolidou como uma das mais importantes fábricas de tecidos de Jundiaí.

Em 27 de julho de 1948, a tecelagem foi adquirida por J. J. Abdalla S/A, empresa que exercia grande influência econômica nos âmbitos regional e estadual. Contudo, devido à insatisfação dos operários e operárias com os salários pequenos e os atrasos do pagamento, a empresa sofreu com processos na Justiça do Trabalho; estes, somados às dívidas acumuladas na Receita Federal, levaram à venda e ao leilão da propriedade, que passou a abrigar por algum tempo as instalações do Supermercado Paes Mendonça.

Posteriormente, em 2003, os então proprietários Irmãos Russi Ltda. e Nivoloni Cia. Ltda. transmitiram o imóvel à N. R. Empreendimentos e Administração Ltda, que iniciou a demolição da fábrica em 2007. Atualmente, 60% da tecelagem encontra-se demolida, estando preservados alguns de seus galpões com estrutura metálica, a antiga seção administrativa e a antiga chaminé. A estrutura permanece como um memorial da luta dos trabalhadores de Jundiaí, já que muitos dos processos movidos pelos operários da Tecelagem Japy acabaram por influenciar a formação do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Fiação e Tecelagem em Geral, fundado pela operária Hilda Latance.

A chaminé, uma das últimas remanescentes da fase industrial da Vila Arens que ainda se encontram edificadas, marca a relação entre passado e presente: em sua estrutura o cidadão encontrará o traço marcante do início da industrialização em Jundiaí. As famílias poderão saudar seus antepassados, assim como os ex- funcionários que poderão se empoderar daquilo que lhe é patrimônio da construção do trabalho do povo jundiaiense.

Galeria de fotos

Todas as fotos no Flickr