Cultura Jundiaí | http://cultura.jundiai.sp.gov.br

Orquestra Municipal de Jundiaí

orquestra-municipal-de-jundiai-051

OMJ em apresentação no Teatro Polytheama

A Orquestra Municipal de Jundiaí tem como missão popularizar a música, para que a população tenha acesso e oportunidade de assistir espetáculos de alto nível, com um programa contínuo, crescente, deixando marcas, costumes, história e reflexões. A arte é entretenimento que fortalece a mente. A elaboração de um produto artístico, especialmente pensado para a nossa cidade tem o importante papel de fomentar, fortalecer e democratizar a arte propriamente dita.


Temporada 2015

Jundiaí recebe mais uma temporada da Orquestra Municipal de Jundiaí, sinônimo de orgulho para a cidade. É uma grande oportunidade à população conhecer um dos nossos maiores patrimônios culturais, que prima pela qualidade no preparo das apresentações, dos músicos e na execução de grandes obras da música mundial.

A quinta temporada é o resultado de um esforço do governo municipal e da dedicação dos integrantes, que muito contribuíram para esta afirmação. Apesar da pouca idade, a OMJ já dá mostras de grandeza e vem realizando um trabalho primoroso, contribuindo decisivamente com a formação de plateias e com o fortalecimento das relações com nossa cidade e região.

Ficha Técnicaomj-geral

DIREÇÃO ARTÍSTICA E REGENTE TITULAR:
Claudia Feres

VIOLINOS
Pedro Della Rolle, spalla
Cleber Albuquerque, chefe de naipe
Adam Totan
Anderson Cardoso
Felipe Santarelli
Glaucia Pinotti
Karen Crippa
Karina Petry
Marcela Sarudiansky
Marcos Scheffel
Milton Pires
Nana Mathias
Sergio Lisboa
Valdiner Rossi
Wanessa Nunes
Sara Moraes*
Silas Simões*

VIOLAS
Emerson de Biaggi,
chefe de naipe
Carol Uchôa
Glaucia Chignolli
Liliana Mocciaro
Valdeci Merquiori

VIOLONCELOS
Vana Bock, chefe de naipe
Camila Hessel
Rafael Cesário Oliveira**
Samuel da Silva
Wesley Sampaio
Rafael Pedro*

CONTRABAIXOS
Thiago Hessel,
chefe de naipe
Carlos Eduardo Gomes***
Alex Dias

DIRETOR ARTÍSTICO ASSISTENTE
Fábio Vianna Peres

ARQUIVISTA
Sílvia Carla Garcia

SPALLAS CONVIDADOS
Luiz Amato – 29/08
Andréa Campos – 27/09
Esdras Rodrigues – 12/12

MÚSICOS PARA
O CONCERTO
‘’Alma Lírica Brasileira’’
12 de dezembro
Silvia Pinotti, oboé
Michel de Paula, flauta
Ubaldo Versolatto, clarinete
Ronaldo Pacheco, fagote
Rui Barossi, contrabaixo

*músico substituto
** chefe de naipe substituto
*** chefe de naipe convidado


Biografia

Orquestra_Jundiai_A_136Orquestra Municipal de Jundiaí – OMJ
A Orquestra Municipal de Jundiaí é criada em 2011 por iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura, antigo anseio da população jundiaiense. Tendo à frente como regente titular e diretora artística a maestrina Claudia Feres, a OMJ vem desde a primeira temporada afirmando-se como um conjunto promissor, tanto pela excelência dos músicos quanto pelo repertório. A orquestra vem apresentando uma programação que contempla obras importantes para o repertório de cordas dos grandes compositores da música clássica, uma grande parcela da produção de compositores brasileiros, música barroca e a produção de programas originais, tendo como temática a música popular. Desde a primeira temporada, a OMJ trouxe uma gama variada de excelentes artistas para se apresentar nos concertos, como o pianista Marcelo Bratke, a soprano Marília Vargas, a harpista Liuba Klevtsova, o saxofonista Marcos Pedroso, o violinista Davi Graton e o guitarrista Paulo Calligopoulos. Também se apresentaram com a OMJ alguns jundiaienses ilustres, como o violonista Fábio Zanon, o flautista Marcelo Barboza e o trio “Conversa Ribeira” que tem entre os integrantes o pianista e acordeonista Daniel Muller. Em um curto período desde a criação, a Orquestra Municipal de Jundiaí já vem se afirmando como um sólido agrupamento camerístico no cenário musical brasileiro.

Claudia Feres – Regente Titular e Diretora Artística
claudia-feres-mFormada em composição e regência pela Unicamp. Após um período em Cincinnati e Chicago, obteve o título de mestre em Música pela Northwestern University (Chicago). Estudou com Eleazar de Carvalho, Fábio Mechetti, Victor Yampolsky, Teri Murai e Jorma Panula, entre outros. Foi premiada com a medalha de honra de Jundiaí pelo  trabalho como diretora artística da Orquestra Jovem de Jundiaí de 1982 a 1986. Apresentou-se com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Amazonas Filarmônica, Opera Giocosa del Friuli Venezia-Giulia, Northwestern University Orchestra e North Shore Chamber Orchestra. De 1991 a 1994 foi regente titular e diretora artística da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina. Foi diretora artística da Orquestra de Câmara de Jundiaí de 1999 a 2003 e regente adjunta da Orquestra Sinfônica de Santo André de 2004 a 2006. De 2002 a 2006 esteve à frente da Orquestra Filarmônica de Mulheres no Projeto AVON Women in Concert, apresentando-se com as sopranos Barbara Hendricks e Kiri Te Kanawa.  Ainda neste projeto, apresentou-se com grandes nomes da música popular, como Rita Lee, Vanessa da Mata e Milton Nascimento. É idealizadora de vários projetos, entre eles os Concertos Astra e “Música e Cidadania”. Desde 1997 é diretora artística da Escola de Música de Jundiaí e coordena a Orquestra de Câmara de Repertório. Foi regente titular da Orquestra Jovem Heliópolis – Instituto Baccarelli de 2011 a 2014. Em 2011, a convite da Prefeitura de Jundiaí, ajudou a criar a Orquestra Municipal de Jundiaí, na qual ocupa desde então os cargos de regente titular e diretora artística.


Participações – Temporada 2015

Fabio_Zanon_2-2

Fábio Zanon


Fábio Zanon, violão – solista (25 de abril)
Uma das figuras dominantes no cenário internacional de violão clássico, como solista ou camerista, Fábio Zanon tem se apresentado por toda a Europa, América do Norte, América do Sul, Austrália e Oriente Médio, e é convidado regular de teatros como o Royal Festival Hall e Wigmore Hall em Londres, Carnegie Recital Hall em Nova York, Sala Verdi em Milão, Sala da Filarmônica de Varsóvia, Musikhalle em Hamburgo, Ateneo em Madri, KKR em Lucerna e todos os maiores teatros do Brasil. Venceu por unanimidade dois dos maiores concursos internacionais: o 30° Concurso “Francisco Tarrega” na Espanha e o 14° Concurso da Fundação Americana de Violão (GFA) nos EUA. A essas vitórias seguiu-se uma turnê de 56 concertos nos EUA e Canadá e o lançamento de seus primeiros CDs. Desde 2008 é professor visitante da Royal Academy of Music de Londres. Em 2013 assumiu a coordenação artística e pedagógica do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão.

Andre_Mehmari_1-2

André Mehmari

André Mehmari – solista e compositor (30 de maio)
Compositor, arranjador e multiinstrumentista, André Mehmari é um dos mais requisitados e conceituados artistas brasileiros na atualidade. Considerado pela crítica como um artista completo e inventivo, suas obras têm sido encomendadas e executadas pelos melhores conjuntos sinfônicos e camerísticos do Brasil, incluindo estreias com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Petrobras Sinfônica do Rio de Janeiro, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, OSB, Quinteto Villa-Lobos, Sujeito a Guincho, Quarteto de Cordas Cidade de São Paulo, Orquestra Amazonas Filarmônica, Orquestra de Câmara do Amazonas, entre outras.

StaneckFoto_3-2

José Satneck

José Satneck, gaita – solista (20 de junho)
Chamado de David Oïstrakh da harmônica pelo crítico francês Oliver Bellamy e comparado aos músicos Andrés Segovia e Mstislav Rostropovich por sua atuação no desenvolvimento e divulgação de seu instrumento pelo crítico Luiz Paulo Horta, José Staneck tem um estilo próprio onde elementos tanto da música de concerto quanto da música popular brasileira e do jazz se fundem a serviço de uma sonoridade e expressividade marcante. Estudou harmonia funcional com Isidoro Kutno, análise estética com o maestro e compositor H. J. Koeullreutter e interpretação com Nailson Simões. Em 2007, obteve o título de Mestre em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. Atua com diferentes formações camerísticas, e já foi solista de diversas orquestras sinfônicas brasileiras e internacionais ao lado de importantes maestros.

Alessandro Borgomanero-2

Alessandro Borgomanero

Alessandro Borgomanero, violino – solista (29 de agosto)
Nascido em Roma, formou-se com o título de Mestre em 1992, na Universidade de Música Mozarteum, de Salzburg, na classe do violinista Ruggiero Ricci. Continuou seus estudos com renomados violinistas como Boris Belkin, Salvatore Accardo e Rodolfo Bonucci. Apresentou-se como solista frente a várias orquestras tais como, Orquestra de Câmara de Budapeste, Salzburg Chamber Soloists, Philadelphia Virtuosi, London Mozart Players, e com a maioria das orquestras sinfônicas do Brasil. Gravou vários CDs pelos selos Kreuzberg Records (Alemanha), Nami Records (Japão) e Classic Sound (Áustria). Vive em Goiânia desde 1999, onde é professor de violino na Universidade Federal de Goiás. Desde 2012 está à frente da Orquestra Filarmônica de Goiás.

Vana e cello na casinha-2

Vana Bock

Vana Bock, violoncelo
chefe de naipe e solista
(27 de setembro)

Foi aluna de Grechen Miller, Z. Kubala, Ricardo Fukuda e Antonio Del Claro. Foi integrante da Camerata Fukuda, Orquestra Experimental de Repertório e Orquestra Jazz Sinfônica. De 2000 a 2003, como bolsista da Fundação Vitae e do Ministério da Cultura, especializou-se em violoncelo e música de câmara na Academia Ferenc Liszt, em Budapeste (Hungria). Participou de gravações de vários CDs, como por exemplo, o do Neymar Quarteto, da pianista Julia Tygel e da Camerata Fukuda. É cellista da Orquestra Sinfônica da USP (OSUSP) e chefe de naipe na Orquestra Sinfônica de Jundiai. Desde 2009 é professora de cello na EMESP. È formada em Terapia Ocupacional pela USP, com especialização em Saúde Mental na UNIFESP.

erika_muniz_03-2

Erika Muniz

Erika Muniz, soprano – solista (20 de novembro)
Natural do Rio de Janeiro, iniciou os seus estudos de canto em 2002 com a prof. Sônia Dumont. Em 2003, iniciou os seus estudos de canto com o barítono prof. Inácio de Nonno na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é aluna da professora Isabel Maresca. Como solista, Erika teve a sua brilhante estreia na montagem da ópera Dido e Eaneas de Henry Purcell, como Belinda, em agosto de 2005 na Escola de Música da UFRJ. Em 2007, cantou as óperas “L’Italiana in Londra” de Cimarosa, fazendo a protagonista Livia e “O rapto no serralho” de Mozart pelo projeto “Ópera no Bolso” na Sala Baden Powell. É integrante do Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo desde março de 2008.

foto chico santana-2

Chico Santana

Chico Santana, percussão – solista (20 de novembro)
Chico Santana é doutorando em música pela UNICAMP e possui ampla atuação como percussionista em diversos grupos de São Paulo e Campinas, além de desenvolver pesquisas nas áreas de educação musical, etnomusicologia e rítmica. Já se apresentou em Cuba, Alemanha, Croácia e Bélgica, transitando por diversos gêneros e estilos musicais. Fez a direção musical e artística de espetáculos e concertos, com destaque para o Calungá – o mar que separa é o mar que une (2012), juntamente com o percussionista Naná Vasconcelos, e turnê belga do Grupo de Percussão de Ourinhos (2015), ambos como gerente artístico do Projeto Guri. Foi professor de percussão e rítmica da Unicamp, além de ter atuado como professor e artista em importantes festivais, como Brasil Instrumental, Festival de Itajaí e Ritmos da Terra.

foto trio-Miriam Vilas Boas

Alma Lírica Brasileira

Mônica Salmaso, Teco Cardoso, Nelson Ayres – “Alma Lírica Brasileira” (12 de dezembro)
Nascida em São Paulo em 1971, Mônica Salmaso começou sua carreira na peça “O Concílio do Amor” dirigida pelo premiado diretor Gabriel Villela em 1989. Em 1995, gravou o CD “Afro-sambas”, um duo de voz e violão com Paulo Bellinati. Seguiram-se “Trampolim” (1998), “Voadeira” (1999), “Iaiá” (2004), e “Noites de gala, samba na rua” (2007). Em 2011, lançou o CD “Alma Lírica Brasileira”, em trio com os músicos Teco Cardoso (sopros) e Nelson Ayres (piano) pela gravadora Biscoito Fino. Em 2014 lançou o CD “Corpo de Baile” somente sobre a parceria dos compositores Guinga e Paulo César Pinheiro.

Pedro Della Rolle-2

Pedro Della Rolle

Pedro Della Rolle, spalla
Mestre pela Universidade de São Paulo em música, graduado pela Trinity College of London em Performance Violinística e pelo Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí na classe do professor Paulo Bosísio. Como solista, apresentou-se com a Orquestra da UNICAMP, Orquestra Sinfônica do CDMCC de Tatuí, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. Atuou como Spalla na Orquestra Sinfônica Paulista, Orquestra de Câmara de Tatuí, Orquestra de Câmara de Curitiba, Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica da UNICAMP, CIA de Ópera Brasileira.

Cleber_Albuquerque_2-2

Cleber Albuquerque

Cleber Albuquerque, chefe de naipe de violinos II
Iniciou os estudos musicais na Escola Municipal de Música de São Paulo em 1996 , onde teve aulas de violino com a prof. Cecília Guida. Ingressou na Orquestra Experimental de Repertório em 1998, onde tocou por oito anos. Em 2001 passou a receber orientação da prof. Elisa Fukuda e passou no mesmo ano a integrar a Camerata Fukuda, onde atuou por nove anos e gravou 3 CDS. Em 2010 , passou a integrar os violinos da Orquestra Sinfônica do Theatro São Pedro onde atua até hoje. Em 2013 ingressou na Orquestra Municipal de Jundiaí, como concertino dos segundos violinos. Para a temporada 2015 foi convidado para ser chefe de naipe interino.

fotos Emerson Quintal 005-2

Emerson de Biaggi

Emerson de Biaggi, chefe de naipe violas
Bacharel em Música pela ECA-USP, onde foi aluno dos professores Perez Dworecki e Horácio Shaeffer. Realizou o curso de Mestrado na Boston University (1992) e em seguida o Doutorado na Universidade da Califórnia. Integrou a Boston Philharmonic, a Vermont Symphony Orchestra e a Boston Modern Music Orchestra, regressando ao Brasil em 1997 para integrar a Orquestra Sinfônica Estadual de São Paulo. Professor de viola e música de câmara no Departamento de Música da Unesp de 1997 a 2004 e no Instituto de Artes da Unicamp desde 1998, além de lecionar nos cursos de pós-graduação. Como solista, desenvolve trabalho de valorização do repertório brasileiro contemporâneo. É chefe de naipe das violas da Orquestra Municipal de Jundiaí desde sua fundação em 2011.

Thiago Hessel-2

Thiago Hessel

Thiago Hessel, chefe de naipe contrabaixos
Iniciou seus estudos de contrabaixo com Pedro Paulo Phillip no Conservatório de Tatuí e logo em seguida passou a ter aulas com Sérgio de Oliveira no Instituto Baccarelli, onde atuou como chefe de naipe na Orquestra Sinfônica de Heliópolis. Em 2009 foi aprovado para o IOIA (International Orchestra Institute Attergau), festival realizado na Áustria onde recebeu orientações de Wolfgang Gürtler (Orquestra Filarmônica de Viena). Atualmente integra a Orquestra Bachiana Filarmônica, Orquestra Sinfônica de Santo André, e Orquestra Municipal de Jundiaí.

Luiz_Amato_1-2

Luiz Amato

Luiz Amato, spalla convidado (29 de agosto)
Luiz Amato é natural de São Paulo, violinista e professor. Bacharel pela USP realizou Mestrado e Graduate Diploma pelo New England Conservatory de Boston (EUA). Em 1996, doutorou-se pela Universidade da Califórnia em Santa Barbara (EUA). De volta ao Brasil, Amato integrou a Camerata Novo Horizonte (spalla), a Orquestra de Câmara São Paulo (spalla) e o Quarteto Municipal da Cidade de São Paulo – com quem ganhou respectivamente em 1997 e 2001, o prêmio APCA, na categoria Melhor Grupo de Câmara do Ano. Foi spalla da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, da Amazonas Filarmônica e da Orquestra Jazz Sinfônica. É membro do Grupo Quintal Brasileiro com quem gravou três CDs.

andrea-campos-omj

Andréa Campos

Andréa Campos, spalla convidada (27 de setembro)
Nascida em Santarém, Pará, iniciou seus estudos de violino na Escola de Música de Brasília, aos 10 anos de idade. Formou-se pela Western Michigan University (1991), obteve o grau de Mestre pela Eastman School of Music (1993) e recebeu o Artist Diploma da Carnegie Mellon University (1997). Atuou como spalla em exibições no Lincoln Center e no Carnegie Hall (New York), no Kennedy Center (Washington, D.C.) e no Boston Symphony Hall, além de liderar a Heidelberg Schlossfestspiele Orchester, na Alemanha. Coleciona variadas premiações, de melhor intérprete de música Brasileira (Piracicaba, São Paulo) a vencedora dos concursos Julius Stulburg Scholarship Chair, Kalamazoo Symphony Honor String Quartet e Concerto Competition, realizados pela Western Michigan University.

Esdras_2-2

Esdras Rodrigues


Esdras Rodrigues, spalla convidado
(12 de dezembro)

Formado em violino pela UNICAMP (1987), tendo como professor Natan Schwartzman. Oteve os títulos de Mestre e Doutor em Artes Musicais na Boston Univesity, entre 1990 e 1998, sob a supervisão de Yuri Mazurkevich (violino) e Dr. John Daverio.(musicologia). Seu extenso trabalho em música de câmara já o levou para os EUA, Alemanha, Grécia, Vietnã, Cingapura, México e Argentina, além de performances por todo o Brasil. Seus projetos de pesquisa atuais focam a música brasileira. Em conjunto com os grupos “Quintal Brasileiro” e “Grupo Carcoarco”, venceu prêmios que permitiram vários lançamentos de CDs e apresentações. Desde 1998, leciona violino e música de câmara na UNICAMP.

 


 

Galeria de Imagens

 


Mais Informações

Diretoria dos Teatros
Rua Barão de Jundiaí, nº 1093, Centro
(11) 4807-0739 / hsoliveira@jundiai.sp.gov.br