Ponte Torta

Patrimônio Material: Ponte Torta
Tombado por: Via decreto do Poder Executivo Municipal
Localização: Rua Dr. Odil Campos Saes, junto ao início da Rua José do Patrocínio- Jundiaí
Número do Processo: 23293/2011

Parecer de tombamento

Considerando o reconhecimento da Ponte Torta como patrimônio cultural de Jundiaí, a qual integra o Inventário de Proteção do Patrimônio Artístico e Cultural (IPPAC);
Considerando o pronunciamento favorável do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Jundiaí;

DECRETA

Art. 1º – Fica tombada nos termos do Capítulo V, da Lei Complementar 443, de 14 de agosto de 2007, a Ponte Torta, localizada na rua Dr. Odil Campos Saes, junto ao início da rua José do Patrocínio, com grau de proteção 1.

Art. 2º – Quaisquer intervenções físicas a serem realizadas no bem tombado deverão ser previamente aprovadas pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Jundiaí, em conformidade com o disposto no art. 13, § 2, da Lei 443.

[…]

Histórico

Não se pode afirmar uma data de sua construção, o que se sabe é que foi construída durante o ciclo ferroviário, sobre o Rio Guapeva, para ligar o centro da cidade à Estação Ferroviária. Na segunda metade do século XIX essa construção era usada para a passagem de bondes puxados por animais da Cia. Paulista Carril Jundihyana. Com o passar dos anos e a ampliação da cidade, foi se tornando pequena demais para suportar o trânsito de pessoas e principalmente de veículos.

O Rio Guapeva também ganhou volume e tamanho, o que exigiu a reformulação da Ponte Torta. Foi construída em alvenaria de tijolos sem armação metálica, seguindo estilo arquitetônico usual na época. Nos anos 1980, a margem esquerda do Rio Guapeva foi alargada para evitar as enchentes que castigavam a região, tais obras abalaram a estrutura da construção, que começou a se deslocar, para evitar a sua queda, foi construído um bloco de concreto.

Em 2014 iniciou um processo de restauração e zeladoria, onde, além do projeto de restauro, foram colhidos depoimentos que visavam um resgate à memória, onde a população pudesse se empoderar da Ponte Torta e reconhecer, através de sua trajetória pessoal, o valor histórico da construção através das gerações.

Todo o entorno da construção se tornou uma área de interação entre o passado e o presente, Jundiaí e sua história, o povo e o seu futuro. O processo de restauração e zeladoria entrou para a etapa final do Prêmio Rodrigo Melo Franco do IPHAN, representando o Estado de São Paulo na categoria de iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural, que visa valorizar e promover iniciativas de excelência em preservação e salvaguarda, envolvendo identificação, reconhecimento e salvaguarda; pesquisas; projetos, obras e medidas de conservação e restauro.

Galeria de fotos antigas

Galeria de fotos anteriores à revitalização

Galeria de fotos após a revitalização

Todas as fotos no Flickr