5º Festeju - Festival de Teatro de Jundiaí

5º Festeju 2021

A Unidade de Gestão de Cultura (UGC) realiza entre os dias 04 e 10 de dezembro a 5ª edição do Festival de Teatro de Jundiaí (FESTEJU), com as apresentações na Sala Jundiaí do Complexo Fepasa (avenida União dos Ferroviários, 1760) e no auditório da Pracinha da Cultura do Vista Alegre – CEU das Artes (Rua Cabo Edvaldo Quirino Santana, 46-110).

As apresentações presenciais seguirão os protocolos sanitários do Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), e serão transmitidas simultaneamente nos canais da Cultura no Facebook e do YouTube.


Confira a programação completa

04 de dezembro (sábado)

11h

“A Refeição”, com a Cia. Tramp de Palhaços

Cena Profissional

Local: Pracinha da Cultura do Vista Alegre (CEU das Artes) – Rua Cabo Edvaldo Quirino Santana, 46-110

Evento presencial, com transmissão simultânea nos canais da Cultura no Facebook e do YouTube

Sinopse: Filomeno é tradicional vendedor de pipocas, destes que vendem nos teatros e praças pelo Brasil afora e, por conta de sua rotina de trabalho, suas refeições são sempre feitas de forma adaptada e desastrosa.

16h

“Charanga da Tramp”, com a Cia. Tramp de Palhaços

Cena Profissional

Local: Pracinha da Cultura do Vista Alegre (CEU das Artes) – Rua Cabo Edvaldo Quirino Santana, 46-110

Evento presencial, com transmissão simultânea nos canais da Cultura no Facebook e do YouTube

Sinopse: Preparem o picadeiro, pois a Charanga da Tramp chegou! Conduzido pelo Mousieur e por uma banda formada por palhaços o espetáculo conta a história dos pequenos circos que circulavam pelo interior do Brasil. Entre instrumentos inusitados, cantigas antigas, reprises de palhaços e habilidades técnicas o picadeiro surge diante do público trazendo a memória do universo circense.


08 de dezembro (quarta-feira)

19h30

“Confeitar: Receita de bolo de chocolate para quem não gosta de chocolate”, com o Grupo Gambiarra (Campo Verde – Mato Grosso)

Cena Amadora

Local: Sala Jundiaí do Complexo Fepasa – Avenida União dos Ferroviários, 1.760

Evento presencial, com transmissão simultânea nos canais da Cultura no Facebook e do YouTube

Sinopse: Aline é uma adolescente cheia de sonhos e se encontra presa por algo fofinho, prático, rápido e delicioso. Realmente esta é a melhor receita de bolo de chocolate! Claro porque é bem assim que eles se apresentam, depois perdem o sabor e começam a ficar amargos. A receita para fazer esse bolo em casa, às vezes você já tem e, mesmo sem querer experimentar, aceita por medo. Chocolate 99% amargo, doloroso, traumático, triste e melancólico você confere agora. Vamos confeitar? 


09 de dezembro (quinta-feira)

19h30

“Hécuba”, com o Núcleo Híbrido de Pesquisa Cênica

Cena Profissional

Local: Sala Jundiaí do Complexo Fepasa – Avenida União dos Ferroviários, 1.760

Evento presencial, com transmissão simultânea nos canais da Cultura no Facebook e do YouTube

Sinopse: Hécuba rainha. Hécuba mulher. Hécuba mãe. Hécuba cativa de guerra. Hécuba cadela. As várias faces de Hécuba se apresentam contaminadas umas nas outras e, muitas vezes, não é possível dissociá-las, nem que seja necessário também, porque Hécuba pulsa e transmuta diante de tudo que se passa diante de si. O seu coração, as suas vísceras e as suas ações são movidas pela passionalidade feminina e materna, humana e animal. Hécuba carrega em si os horrores da guerra, a impotência diante da guerra, a voz silenciada, o trauma, as perdas. O corpo gasto e cansado parece se revestir de força bruta, ânsia sobrenatural, um grito que ecoa, um grito árido, ferida aberta. A personagem Hécuba é o ponto de partida para a construção deste solo teatral, a partir da pesquisa de três obras principais: “As Troianas” e a obra homônima “Hécuba”, ambas de Eurípedes e “As Troianas”, de Sartre. Hécuba é a segunda mulher de Príamo e rainha de Troia. Após a queda de Troia, os gregos, vitoriosos, desejam partir de volta à Pátria, mas suas naus ficam retidas no Quersoneso Trácio por falta de ventos favoráveis. Neste ínterim, o fantasma de Aquiles aparece aos gregos para pedir-lhes que seja sacrificada sobre seu túmulo a virgem Polixena, uma das filhas de Príamo e Hécuba. A saga de Hécuba remete ao arquétipo universal da opressão dos povos em meio às guerras e conflitos. Sendo assim, Hécuba é a rainha chorando seus mortos em Troia, mas também a mãe carioca que perde o filho num tiroteio, a mãe separada dos filhos na fronteira entre Estados Unidos e México, há “Hécubas” na guerra travada entre nazistas e judeus, americanos e mulçumanos, indígenas e europeus. A Hécuba de ontem e de hoje é despojada de tudo: lar, família, dignidade. Ela vê seus filhos e filhas serem mortos, ela vê as casas em chamas e não há saída satisfatória que possa aplacar a fúria dos homens em guerra.


10 de dezembro (sexta-feira)

19h30

“Shakespeare Enigmático”, com o Núcleo Teatral Arcádia

Cena Profissional

Local: Sala Jundiaí do Complexo Fepasa – Avenida União dos Ferroviários, 1.760

Evento presencial, com transmissão simultânea nos canais da Cultura no Facebook e do YouTube

Sinopse: Faz mais de quatrocentos anos que William Shakespeare morreu e hoje, neste exato momento, em algum lugar do mundo, possivelmente alguém está encenando ou ensaiando uma adaptação de um texto de suas obras. Seus personagens, cenas e textos estão presente em nosso dia a dia. Suas peças já viraram filmes de Hollywood, desenhos animados, histórias em quadrinhos, musicais e óperas. Frases do nosso dia a dia, expressões e palavras vieram de seus textos. Mesmo sem saber, todo mundo conhece alguma coisa de William Shakespeare. Diante deste fenômeno que é Shakespeare podemos realizar algumas perguntas: por que suas histórias ainda fazem tanto sucesso? O que seus textos têm a dizer sobre o nosso contemporâneo? O que fez dele uma pessoa tão genial? Na tentativa de achar as respostas para estas perguntas, nos deparamos com uma enigmática biografia de William Shakespeare e responder tais perguntas já não é mais uma busca lógica e sim um aprofundamento agradável e intrigante. Esta peça investiga a vida e obras de Shakespeare e, a partir de encenação de acontecimentos da sua vida e das cenas daquelas que são consideradas suas principais obras primas, encontrar algumas possíveis respostas para tantas inquietações sobre o dramaturgo. Quer um exemplo? Você sabia que Shakespeare uma vez participou de um roubo de um teatro? Que ele ficou um tempo sem trabalhar por conta de uma forte pandemia? Ou ainda que ele tomou um chá de sumiço por sete anos? Existe bastante informação sobre Shakespeare que todos conhecem muito bem, mas quando falamos de enigmático, nos referimos à vida do maior autor de todos os tempos, que é repleta de enigmas, lacunas e especulações cuja resposta ninguém sabe ao certo. São de informações como estas que será recheado o espetáculo: “Shakespeare Enigmático”, uma breve história sobre o maior dramaturgo de todos os tempos.


Históricos dos grupos:

– Cia. Tramp de Palhaços

A Cia. Tramp de Palhaços foi criada em 2015 pelos palhaços e atores Luan Silva, Fernando Rosa e Paulo Freitas, com o objetivo de investigar e pesquisar a linguagem do palhaço. A partir dessa pesquisa o grupo concebeu durante sua trajetória quatro espetáculos, sendo eles: Um Solo para Três Palhaços, Lechuga Circus, A Refeição e Charanga da Tramp. O primeiro espetáculo do grupo, “Um solo para três palhaços” foi contemplado pelo ProAC de Primeiras Obras de Produção de Espetáculo e Temporada de Teatro do Governo do Estado de São Paulo, participou do Circuito Cultural Paulista 2018 onde circulou por quatro cidades (Ribeirão Pires, Diadema, Cubatão e Bertioga), além de participar de diversos festivais nacionais, entre eles: 12° Festival Nacional de Teatro Cacilda Becker, na cidade de Pirassununga-SP, 19º Festival Nacional de Teatro de Guaçuí-ES, IV Festival Nacional de Teatro Carpe Diem, na cidade de Salto – SP e VII FACCI Cachoeiro do Itapemirim-ES, sendo premiado e indicado em diversas categorias. Com espetáculo “Lechuga Circus” o grupo participou do Circuito Cultural Paulista 2018 onde circulou por três cidades (Santa Barbara D’Oeste, São Simão e Catanduva), participou dos festivais: 18º Festival Nacional de Teatro de Guaçuí-ES, onde foi premiado com Melhor Espetáculo de Rua pelo voto popular e Prêmio Especial do Júri, Sathyrianas 2018, VIII FACCI Cachoeiro do Itapemirim-ES, IV Vinhedo em Cena na cidade de Vinhedo (SP), entre outros. Participou do projeto “Hoje é dia de Artes” na cidade de Salto (SP) onde realizou quatro apresentações por diversas regiões da cidade. “A Refeição”, espetáculo solo do ator e palhaço Luan Silva, circulou pelos festivais: 8ª Mostra de Teatro de Sarapuí, contemplado com os prêmios de Destaque pela Pesquisa da Palhaçaria e Aclamação Popular, Feteg 4º ato em Guaranésia-MG, 4º Prêmio AATA na cidade de Espirito Santo do Pinhal-SP, XIX FACE Festival de Teatro de Conselheiro Lafaiete-MG, na qual foi indicado aos prêmios de Melhor Caracterização, Melhor Interatividade, Melhor Performance e Melhor Espetáculo, apresentou no FITS Festival Internacional de Teatro Sapucaia em Santa Rita do Sapucaí-MG e no 1º Festival de Teatro Opereta realizado na cidade de Poá-SP, apresentou na cidade de Cachoeiro do Itapemirim-ES dentro da programação do VIII FACCI – Festival de Artes Cênicas de Cachoeiro do Itapemirim, participou do 2º Festita em Itapevi-SP, em Barroso-MG participou do 3º Fofocarte onde foi premiado como Melhor Ator, Melhor Figurino, Melhor Maquiagem, Melhor Direção e Melhor Espetáculo, em Curitiba-PR apresentou no Espaço Alldeias e participou do 3º FIT Cidade dos Anjos em Santo Ângelo-RS, onde foi premiado como Melhor Espetáculo pelo Jurí Popular. Foi contemplado pelo Edital PROESC – Programa de Estímulo à Cultura ProAC Municípios. Com a “Charanga da Tramp” circulou por diversos Projetos da Prefeitura de Jundiaí como: Dia do Teatro e do Circo, Domingo no Parque, Festa da Uva entre outros durante ano de 2019, apresentou-se na Festa da Uva de Vinhedo e na Mostra de Referência da Cia Tramp de Palhaços na cidade de Cambuí-MG. Além dos espetáculos, o grupo participou do Projeto de qualificação em Artes Ademar Guerra no ano de 2018 com o projeto D’ARTAGNAN, sendo orientado por Amabile Bezinelli, Thais Póvoa, Everton Gennari e Flavia Bertinelli.

– Grupo Gambiarra

Originário de Campo Verde, o Grupo Gambiarra é formado por estudantes do interior do Estado do Mato Grosso e tem alcançado cada vez mais destaque no cenário das artes cênicas, participando de festivais de teatro como: FETRAN, Festival Velha Joana, FESTICAV e FEGERART, os principais festivais matogrossenses.

– Núcleo Híbrido de Pesquisa Cênica

Criado em 2011, o Núcleo reúne artistas que desejam pesquisar Dança-Teatro e Teatro Físico. 2012, “Pés de Lótus”, contemplado no Prêmio Estímulo Jundiaí, categoria Montagem e Circulação de Espetáculos de Teatro. 2014, “O menino que carregava água na peneira”, performance apresentada na Praça da Matriz de Jundiaí, Comemorações do Dia do Teatro e do Circo, Secretaria de Cultura de Jundiaí. 2015, “Rapunzel, onde nasce a Primavera”, Mapa Cultural Paulista, fases Municipal e Regional, e nas Comemorações do Dia do Teatro e do Circo, Secretaria de Cultura de Jundiaí. 2017, iniciou-se o processo de “Luiza _ ou sobre uma canção que ela nunca soube cantar”. Realizou dois ensaios abertos, no Ateliê Casarão Cláudio de Albuquerque e na Sala Jundiaí, Fepasa. Realizou uma leitura dramática no Espaço Locomotiva. 2018, “Luiza _ ou sobre uma canção que ela nunca soube cantar”, apresenta-se: No Espaço Teatro Estrada, em Indaiatuba, em 09 de junho. Apresenta-se no Espaço Teatro Escola Mário Pérsico, em Sorocaba, em 07 de julho. Selecionados para a IV Mostra Vinhedo em Cena, com apresentação em 19 de julho. Participa da VII MOSTRA DE TEATRO DE PILAR DO SUL – 2018. Participa do VIII FESTIVAL DE TEATRO DE SARAPUÍ – 2018 Onde recebe os prêmios: – Melhor Sonoplastia – Ator Revelação: Geam Marcelo Campos – Melhor Atriz: Tatá Nascimento – Melhor Ator: Cícero Inácio – Melhor texto original: Priscila Modanesi – Melhor Diretor: Priscila Modanesi – Melhor Espetáculo 2019, realiza a Performance “Tang, sabor laranja ou Isso não é uma Fake News (?)”, no Bar do Haules. Inicia o processo de montagem do espetáculo [In]Sônias. 2020, segue com o processo de criação do espetáculo [In]Sônias, virtualmente, devido à Pandemia. Contemplado no Edital Emergencial “Ó lá de Casa! ”, realizado pela Unidade de Gestão e Cultura da Prefeitura Municipal de Jundiaí, com o projeto solo em vídeo “Luiza”. Contemplado no Edital Aldir Blanc, realizado pela Unidade de Gestão e Cultura da Prefeitura Municipal de Jundiaí, com o projeto solo em vídeo “Hécuba”. Contemplado no Edital Aldir Blanc, realizado pela Unidade de Gestão e Cultura da Prefeitura Municipal de Jundiaí, com o projeto solo em vídeo “[in]Sônias”. Contemplado no Edital Aldir Blanc, realizado pela Unidade de Gestão e Cultura da Prefeitura Municipal de Jundiaí, com o projeto solo em vídeo “1 minuto de Poesia”. Participa com performances virtuais do Levanti Fest #2. Realiza o projeto virtual com a releitura da dramaturgia de “Luiza_ ou sobre uma canção que ela nunca soube cantar”, reunindo 13 artistas da cidade de Jundiaí na concepção e gravação das cenas. Em 2021, participa do #BAULA – Festival de Teatro Online, realizado por A Casa das Lagartixas, de São José dos Campos, com o projeto Vermelho.

– Núcleo Teatral Arcádia

Gustavo Costa e Thiago Domingues já haviam realizado inúmeros trabalhos em conjunto, seja em Jundiaí, seja em São Paulo, como “O amor nunca diz já chega” “O Auto da Compadecida”, estes ainda pelo grupo Frassati. No ano de 2019 que decidiram pela primeira vez realizar um trabalho que daria início a uma companhia. A primeira peça que montaram foi: “Ensaio sobre a margens”. Peça que contava a história de 9 moradores de rua a partir de um monólogo. A peça apresentou na Satyrianas, Fapcom e nas cidades de Jundiaí e Itupeva. Em 2020 chegou à pandemia, foi então que decidiram fazer leituras teatrais na modalidade online. Foi quando nasceu a primeira versão remota de: “Sonho de uma noite de verão de William Shakespeare”. A partir da repercussão decidiram então escrever o projeto para PROAC Expresso LAB da montagem de: “Macbeth, um ensaio sobre os desejos”. Supreendentemente foram contemplados e iniciaram então o ano de 2021 oficializando o Núcleo Teatral Arcádia, aumentando a equipe e estreando com o espetáculo de maneira virtual que foi um sucesso segundo o público. Hoje o Núcleo contempla mais de 10 artistas em diversas funções e tem a honra de estrear este ano, no Polytheama, o espetáculo aqui ofertado “Shakespeare Enigmático”.


Existente desde 2017, o festival chega à sua 5ª edição, com o objetivo não apenas de fomentar a atividade artística na linguagem do Teatro, como também de estimular a criação de público e de promover o intercâmbio de talentos e experiências dos artistas da cidade com os de fora.

Por conta da pandemia, a 4ª edição do Festeju 2021 foi realizada em janeiro de 2021, de modo online, pelo canal da Cultura no YouTube, como forma de enfrentamento à pandemia e de prestação de serviço à população, através da criação de conteúdos online artísticos de qualidade. A programação completa da 4ª edição pode ser conferida neste site.

Mais informações pelo e-mail festeju@jundiai.sp.gov.br ou pelo telefone (11) 4585-9750.


Apoio e Realização Política de privacidade